Literatura

“A mulher do próximo”, de Gay Talese

5 de janeiro de 2020 0
Gay Talese – Wikipédia

Como se sabe, o final dos anos 60 e início dos anos 70 do século passado foram uma época de grande liberdade nos costumes nos Estados Unidos, e esse é o tema do livro “A mulher do próximo – crônica da permissividade americana nas décadas de 1960 e 1970”, de Gay Talese (Companhia das Letras, 504 páginas), um dos maiores expoentes – senão o maior – do movimento chamado “jornalismo literário” norte-americano.

Quando se pensa na liberação sexual daquela época, a primeira coisa que vem à cabeça da maioria das pessoas é a contracultura e o movimento hippie. Talese, por sua vez, praticamente passa ao largo desses temas: seu foco, em “A mulher do próximo”, é nas classes média e alta, nas pessoas “comuns”, e como a liberação sexual influenciou suas vidas. Ao invés de se concentrar em análises sociológicas, Talese escolhe pessoas famosas ou anônimas e conta suas histórias (principalmente, claro, o lado sexual de suas histórias): um ex-técnico da Nasa que funda uma comunidade onde o sexo é livre; diversos editores de livros e revistas pornográficos (inclusive Hugh Hefner, da Playboy) e suas brigas contra a censura por obscenidade; juízes pró e contra a liberação da censura na imprensa; um casal de classe média normal que tem sua vida virada do avesso quando começam a experimentar o sexo livre; o painel de Gay Talese é tão amplo que até mesmo defensores do sexo livro de décadas e até séculos anteriores, e o próprio autor do livro (em terceira pessoa) têm suas histórias pessoais e sexuais dissecadas.

0

There are 0 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *